ARTIGOS

A Merit e seus sócios são referências no setor de seguros.
Confira os principais artigos publicados pelos sócios que revelam a experiência de mais de 20 anos de mercado.

Uma nova consciência nas relações empresariais

 

No mundo todo a palavra de ordem é proteção. Em decorrência de uma pandemia de proporções gigantescas, as pessoas nos quatro cantos do planeta foram obrigadas a viver sob novas regras de saúde, higiene e conduta social. Em poucos dias, uma nova consciência humana atingiu a todos, face ao iminente risco que o novo vírus trouxe à vida.

O distanciamento social, o uso de máscara de proteção e a higienização com álcool em gel foram apenas algumas medidas individuais que visam prevenir a propagação do vírus. No aspecto coletivo, fechamento de locais públicos e restrição ao uso de transportes de massa foram algumas medidas implementadas também com intuito de minimizar o impacto do vírus na sociedade.

Tomando-se por base as medidas adotadas pelos governos e pela sociedade civil, entende-se que algumas providências devem ser aplicadas igualmente no setor corporativo. Nada mais natural do que, da mesma forma que se busca a proteção à vida humana, se faz necessária a proteção da vida corporativa. Em outras palavras, se há uma nova consciência social, deve-se estendê-la ao ambiente profissional, de modo que os empresários obtenham mais segurança e proteção na condução dos seus negócios.

É evidente que o medo gera insegurança e a insegurança, por sua vez, provoca a paralisação. A incerteza e desconfiança em relação ao futuro é um sentimento dominante em momentos de crise, proporcional ao medo que se vive no presente. E sentir medo não é bom para a saúde humana e nem para a economia.

Os riscos financeiros em épocas críticas se tornam mais expostos e aumentam, independentemente do porte ou setor de atividade de uma empresa. Nestas situações, se não há como evitar ou interromper de imediato uma pandemia, o melhor que se possa fazer é buscar abrigo.

Imunização empresarial

As apólices de seguro, de maneira geral, desempenham o papel de tornar a vida de pessoas e empresas mais protegidas. As apólices não evitam ou reduzem o risco em si, mas mitigam parcial ou integralmente as perdas financeiras que podem ser provocadas por um evento negativo adverso. As apólices de seguro têm o papel de imunizar as empresas diante dos riscos que essas possam sofrer, protegendo-as inclusive contra a falência, ou seja, a morte do negócio.

Em especial as apólices de Seguro Garantia, as quais possuem a função de afiançar contratos ou atender às exigências do Poder Judiciário, são instrumentos eficazes de proteção. As relações comerciais entre empresas privadas ou públicas são regidas por contratos, cujo objetivo é estabelecer direito e as obrigações entre as partes. Mas, mesmo tendo em mãos um documento assinado, isso não exime uma relação comercial de apresentar riscos. É por essa razão que, em momentos mais críticos, esses riscos se tornam mais acentuados e possíveis de acontecerem, portanto, sob essa perspectiva, é fundamental que os contratos já firmados mereçam revisões e os futuros contratos mais atenção.

Para se ter uma ideia, em uma pesquisa interna, observando-se os contratos de prestação de serviços, fornecimento de equipamentos ou de construção civil que foram fechados nos últimos 2 anos – aproximadamente 3.000 – em que a Merit atuou na emissão de apólices de Seguro Garantia, apenas 3% previa em seus clausulados eventos pandêmicos. Obviamente que daqui em diante isso vai mudar.

Se o direito comercial traz à tona uma discussão em torno da inclusão de cláusulas para pandemias, uma nova consciência deve vir alinhada com exigências cada vez maiores em coberturas, tornando assim as apólices de seguros essenciais para a proteção e bom desempenho das relações comerciais.

O Seguro Garantia, por exemplo, se já era primordial, agora ganha mais relevância no ambiente empresarial pela função importante que ocupa para evitar prejuízos diante da possibilidade de uma inadimplência contratual. Em um ambiente econômico volátil, o risco de descumprimento de cláusulas contratuais é maior, exigindo-se desta forma a inclusão de apólices de seguros aderentes à cada tipo de contrato, negócio ou projeto. Além do Seguro Garantia, existem outras coberturas que podem e devem ser previstas em um contrato, mas isto é tema para outro artigo.

Uma experiência da Merit

Atuando por mais de 25 anos no mercado de garantias, a Merit tem notado que empresários que se preocupam em proteger sua família, seus colaboradores, seus negócios e investimentos têm mais probabilidade de superar momentos difíceis. Desfrutando de um estado emocional mais positivo, face aos resultados de medidas preventivas e da contratação de apólices de seguro, empresários conseguem tocar seus negócios com mais segurança e tranquilidade, podendo dedicarem mais energia aos novos projetos e investimentos. Afinal, estar protegido e ter confiança são sentimentos que impulsionam a economia.

O distanciamento é social, mas não profissional. O momento pede por união e por mais conectividade entre pessoas e empresas. As relações devem se intensificar e, na mesma proporção, os riscos tendem a crescer. Assim como o uso da máscara de proteção individual, a contratação de apólices de seguro é uma medida que deve fazer parte de uma nova consciência corporativa. Os tempos que virão serão outros. Se no momento os hábitos pessoais estão sendo reavaliados, por que não rever igualmente os procedimentos empresariais?

Para saber mais sobre como proteger seus negócios, consulte a Merit Seguros. Há mais de 25 anos fazendo garantias para sua empresa continuar fazendo história.

_________

Autor: Sergio Fasolari – CEO Merit